terça-feira, 25 de julho de 2017

O BALALAIKA !




Postado novamente a pedidos dos leitores.


                Quem não conheceu o meu Pai, Odithes José da Silva? 
                Nele via alegria e o dinamismo de um homem simples, mais de  enorme coragem em  realizar eventos voltados a promover e animar nossa querida terra de Varre-Sai, e todos acreditava no seu trabalho, porque o sucesso era garantido e a alegria era uma constância!
              O Papai gostava de tudo que era alegre, e dançava muito bem, ele e a Mamãe Natalina dançavam constantemente em casa, quando ouviam musicas pela Radio Nacional , Rádio Tupi ou Tamoio que executavam musicais de sucessos da época!
            O Papai sempre gostou muito de realizar bailes: tantos com bandas de Varre-Sai, ou de outras localidades.
            A Banda do Darizinho era o ponto alto dos bailes que o Papai fazia e também a garantia do sucesso musical da época!
Vários bailes realizados, e sempre bailes superlotados, alegres e com muita gente bonita!
                 Bailes do Clube  da Esteirinha, dedicado à classe operária, olha que ficava lotado, hoje, é o local onde tem a Lotérica de Varre-Sai.
               Realizava baile no Casarão ao lado da Matriz de São Sebastião de Varre-Sai, bailes de carnaval, noites de sucessos carnavalescos, e grande fluxo de pessoas,  num clima de muita paz, embora, às vezes existissem alguns que brigavam, mas, a presença sempre marcante de policia, acabava com  as brigas e o baile iam até o amanhecer!
               O Papai tinha equipe de segurança, equipe que fabricava a bebida, (o vinho extraído de uma árvore, não me lembro o nome, parece ser jatobá!) Mas, na verdade não me  lembro bem!
                 Com o passar do tempo os bailes do Odithes, também foram realizados na máquina de beneficiar arroz.
Depois abriu na garagem ao lado da sua casa, na Rua José Tupini e assim surgiu o BALALAIKA, que ficou famoso e que marcou época! A participação de jovens de Guaçuí, Natividade, Porciúncula, Carangola e Itaperuna eram certas nos finais de semana!
              Casa cheia, uma multidão enorme, e lembro que a equipe não parava de trabalhar, e  o Darizinho e seu Conjunto tocavam bailes e mais bailes e tudo com casa cheia; e o Papai também se divertindo, porque tanto ele como a Mamãe Natalina, amava este clima, onde o ambiente era de muita de alegria e descontração! 
              Foram muitos anos de bailes felizes e de muitas alegrias nesta querida terra de Varre-Sai. 
                   Acredito que muitos casais nestes bailes se conheceram e iniciaram namoro e constituíram famílias e se uniram para sempre!
               O Baile das Moreninhas ou Cavadeiras e o baile do Clube dos 13  (Elite) predominavam a nobreza Varresaense, mas, quando acabava o baile do Clube dos 13, os dançarinos se deslocavam  para o Clube das Cavadeiras e lá dançavam o resto da noite num clima de alegria e entusiasmo!
                 Com o passar do tempo, as coisas iam se tornando mais difíceis e também a idade começava a atrapalhar não só os organizadores, mas, também aos músicos e os próprios dançarinos, que viam e sentiam a idade chegando e o fôlego acabando, foi até que veio o desânimo, o cansaço e também as dificuldades definitivas de locais para realizarem as noitadas e tudo se tornando mais difíceis, chegando mesmo ao ponto de ter que parar com os bailes e assim, ficou Varre-Sai, cada dia mais desanimado e carente, e, isso, veio a influir e hoje, Varre-Sai tem o seu clube, porém, sem a realização de noitadas, a juventude limitando-se em se encontrar em bares consumindo bebidas e deslocando posteriormente para as cidades circunvizinhas a participar de bailes ou festas!
             Varre-Sai passou  a ver em suas noites frias a se tornarem verdadeiramente apaixonantes, onde a elegância e o bom gosto tornavam-se a noite de Varre-Sai uma das mais encantadoras, não só pela beleza natural, mas, pela beleza das musicas e flores do alto dos seus 720 metros de altitude, no clima frio com a mistura do sereno e a serração que juntos enfeitavam os longos cabelos das beldades, que se tornava a cada momento mais sedutoras e apaixonantes! Permanecendo nos corações de todos os visitantes amantes das belezas da terra!
             Varre-Sai sua linda, mesmo assim, crescida, carente de água, mas, não faltava amor no coração dos seus filhos, por isso, te digo com orgulho, Varre-Sai minha terra querida, te amo cada vez mais!

Postado por Blog do Titio Odithes às 15:41 

Nenhum comentário:

Postar um comentário